SIGA-ME

QUEM SÃO OS ORIXÁS, ORIGEM E PRATICAS.
I – INTRODUÇÃO
É, porém, inegável a proliferação verdadeiramente espantosa desses centros de superstição, depravação, degradação moral, em que se misturam práticas fetichistas e ritos católicos, deuses africanos e santos católicos, num sincretismo bárbaro de necromancia, magia, politeísmo, demonolatria e heresia.
E não julguemos que se trata de um movimento apenas entre a gente de cor. A absoluta maioria dos “chefes de terreiros” são brancos e as tendas também são freqüentadas pôr pessoas que vão até lá em carros do ano e até mesmo carros oficiais. Alguém poderia dizer que a umbanda é uma religião própria da classe inculta ou ignorante, haveria de diminuir na proporção em que crescesse o índice de alfabetização. Mas isto não acontece. Pois vemos entre os freqüentadores até gente de destacada posição social. Presidentes, Senadores, Ministros, Deputados, Prefeitos, Vereadores, artistas etc. O próprio Governo parece fomentar esse movimento como espetáculo de valor turístico.( MINHA OPINIÃO)
II – CONFUSÃO NA UMBANDA
Cada um procura fazer uma Umbanda a seu modo, e dentro do conceito que ele próprio imagina, de acordo com a sua instrução, com a sua capacidade de imaginação, com seus conhecimentos, e, quase nunca, com a orientação dada pelos seus próprios guias. Não somente cada autor, cada chefe de terreiro proclama: “A Umbanda que aqui se pratica , é muito diferente dessa Umbanda que se pratica pôr aí afora”. Pois: “Inúmeras são as contradições existentes entre os próprios praticantes da Umbanda..
Uns querem voltar ao mais puro africanismo; outros rejeitam energicamente todos os elementos africanos, outros pretendem ter encontrado a mais pura Umbanda nas religiões da Índia; nem falta quem declare que “o livro fundamental de Umbanda é a Bíblia, com o Antigo e Novo Testamento, tal como estão escritos, não se admitindo interpretações simbólicas.
III – A PALAVRA “UMBANDA”
A confusão já se manifesta na explicação da origem do significado da própria palavra “Umbanda”. Há mil interpretações sobre a palavra Umbanda. Essa palavra é um constante e permanente desafio aos estudiosos do assunto. Uns dizem que é Luz Irradiante, outros dizem que é Banda de Deus, há os que dizem que é Corrente Espiritualista, Na Luz de Deus, Legionários de Deus, e vai por aí afora, porém tudo vago e indefinido, sem haver, entretanto, uma explicação cabal e convincente. O Dr. Artur Ramos já reconhece a palavra, que é de origem africaníssíma, designado o grão-sacerdote do culto banto ou evocador de espíritos. No catecismo de Umbanda diz que: “Umbanda é uma palavra africana, significando ora o sacerdote, ora o local onde se pratica o culto”.

IV – UMBANDA É ESPIRITISMO
Existe grande desavença entre os adeptos do Espiritismo Kardecista (que aceita codificada por Allan Kardec) e os do Espiritismo Umbandista. Uns e outros fazem questão de dizer “espíritas ”
Mas os primeiros declaram que foi Allan Kardec quem criou e ficçou o termo para designar especificamente o Movimento Espiritualista pôr ele iniciado e que, por conseguinte, outros não podem usurpar a mesma designação para um movimento essencialmente diferente. É a razão por que reclamam o termo “espírita” para si exclusivamente. Nem por isso os umbandistas deixam de chamar-se “espíritas”. Podem alegar em seu favor que a Umbanda de fato não é ,essencialmente diferente do kardecismo.
Mas existe outra razão muito mais decisiva que nos permite identificar a Umbanda e o Espiritismo. Pois todos os umbandistas aceitam a doutrina ou filosofia kardecista da reencarnação. O umbandista acredita na lei das reencarnações, na lei da evolução das almas, aceita a “revelação” de Jesus Cristo. Dois ponto distinguem o umbandista do kardecista: a.) a prática da comunicação dos espíritos dos mortos, b.) o ritual, muito complexo na lei de Umbanda, que é uma religião de culto externo.
V – UMBANDA, A QUARTA REVELAÇÃO
Aceitando embora integralmente a revelação kardeciana”, a Umbanda pretende, no entanto, aperfeiçoá-la e ultrapassá-la . Para os umbandista Kardec é grande, mas a Umbanda é maior. Moisés trouxe a primeira revelação, Cristo veio com a segunda revelação, Kardec declarou o espiritismo portador da terceira revelação, mas a Umbanda seria a última, a Quarta Revelação. Assim como Cristo retificou e superou Moisés, como Kardec corrigiu e suplantou Cristo, assim a Umbanda julga purificar e vencer Kardec, Cristo, e Moisés. É que eles, os umbandistas, tiveram a dita de entrar em relações com espíritos superiores aos daqueles que ditaram suas mensagens para Allan kardec, espíritos “que possuem mais vastas concepção do universo e reconhecem a existência de outra ordem de espíritos (não humanos), cujas relações entre os mesmos e os humanos não deve ser apenas de mérito intercâmbio e sim de cultuação, o que exige ( e mesmo que o contato seja estabelecido) uma verdadeira ritualística
VI – UMBANDA É MAGIA
Todos os autores umbandistas que tenham pesquisado definem este movimento como sendo magia; por exemplo: a Umbanda faz magia pôr intermédio das forças invisíveis, baseadas nas forças astrais, com rituais, preceitos, sinais cabalísticos, cânticos e outros elementos, como a água, o fogo, a fumaça, as bebidas, as comidas, os animais, apetrechos apropriados, etc. O umbandista poderia ser comparado com os “alquimistas, feiticeiros, advinhos, pitonisas do passado.
O espiritismo kardecista evoca os espíritos para deles ter notícias, obter comunicações doutrinárias, ou ainda, quando se trata de espíritos atrasados, para instruí-los; mas não existe a idéia de fazer certos “trabalhos” a favor ou contra determinadas pessoas. A Umbanda porém, vai bem mais longe,: no culto aos Exus, considerados “os agentes mágicos universais que estes espíritos são evocados pôr meio de ritos, sinais cabalísticos (“pontos riscados”) , versos evocativos (“pontos cantados”) e objetos ( galos, galos pretos, charutos, cachaça, velas, etc.) que lhe são oferecidos (“presentes”, “despachos”) para conseguir que se ponham ao serviço do homem e façam ou desmanchem determinados “trabalhos”. E isso é magia no sentido mais estrito da palavra.
Ora, tanto a necromancia dos Kardecistas, como a magia dos umbandistas, foi proibido por Deus. Eis alguns exemplos: Lv 20:6; Lv 19:31; Dt 18:12-14; At 8:9-11; At 13:10; At 19:10.
VII – UMBANDA E QUIMBANDA
Querem alguns distinguir entre Umbanda e Quimbanda, dizendo que ambos praticam a magia, sim, mas com a diferença de que em Umbanda ela é feita apenas para o bem (e seria a Magia Branca) e em Quimbanda (Magia Negra) os trabalhos seriam exclusivamente maus.
Na sua essência íntima, a Quimbanda é em quase tudo idêntica ao que se cultua na Umbanda.
Quando alguém procura a Quimbanda, procura porque quer fazer trabalhos; por exemplo: “para obrigar o namorado ou amante a voltar a se casar; para amarrar o homem com a mulher; para que o marido se conforme com a mulher ter o seu amante; para uma mulher tirar o homem da outra; para que o homem só tenha potência para uma mulher; para amarrar a vida e negócio dos outros e os arruinar; para obrigar outros a fazer o que não é justo; para castigar os inimigos, pô-los doentes ou então matar, etc. Essas pessoas recorrem aos serviços dos exus que também são cultuados na Umbanda, sendo que na Quimbanda só trabalham com os exus.
VII – UMBANDA É A NEGAÇÃO DO CRISTIANISMO
Já vimos que a Umbanda, em sua prática da evocação dos espíritos e em seus trabalhos de magia (branca ou negra, tanto faz) desobedece a Deus, revoltando-se contra uma ordem clara e repetida do Criador. Verificamos que a Umbanda, em sua doutrina panteísta, contesta e deve contestar toda uma longa série de verdade cristãs a respeito de Deus: Nega a Trindade, a existência de um Deus pessoal e distinto do mundo; a divindade de Jesus, a redenção por Cristo, a Graça de Deus, a ressurreição de Cristo, o juízo depois da morte, a ressurreição final de todos os homens, a existência do inferno, dos demônios, do diabo etc.
Tudo isso, em outras palavras, é a negação total da doutrina cristã e por isso do Cristianismo.


VIII – A HIERARQUIA EM UMBANDA
Não existe uniformização de ritual dentro dos vários terreiros. A extrema complexidade dos ritos para a evocação mágica dos orixás, eguns e exus, ou para outros “trabalhos espirituais de caridade”, reclama numeroso pessoal, suficientemente instruído e habilitado. É necessário tomarmos conhecimento da terminologia própria da Umbanda e das atribuições dos vário graus da hierarquia umbandista:
1 – O chefe principal, ou chamado chefe do terreiro, é denominado geralmente “Pai de Santo” (tradução literal de babalorixá: baba = pai, orixá = santo) ou babalaô, babaloxá, babaluê, ou ainda: cacique, príncipe de Umbanda, senhor de Olorum; quando for mulher, é “Mãe de Santo”, ou simplesmente baba
2 – Ogans, homens que auxiliam diretamente o babalaô, tratam do cerimonial, dirigem os trabalhos de incorporação dos médiuns, entoam os pontos cantados e zelam pela perfeita ordem do terreiro, conhecem as forças das ervas, os segredos e os efeitos dos pontos riscados, a comida dos Santos e sabem manejar a faca para sacrificar os animais. Quando mulheres, tem o nome de jabonan, jibonan ou “Mãe pequena”, que são encarregadas também de dirigir as danças e devem ocupar-se com as mulheres.
3 – Cambones, cambonos ou cambandos e as sambas. Todos são “Filhos ou Filhas de Santo”. São auxiliares, competindo-lhes abrir o terreiro, receber qualquer babalaô, enxugar o rosto dos médiuns, evitar que se machuquem, socorrê-los quando em transe, ajudar nas danças e cantar para as grandes cerimônias. Os cambones prestam auxilio aos homens, as sambas as mulheres
4 – Médiuns, julgados em condições de incorporar ou receber os Orixás Menores. Na Umbanda esses médiuns, quando incorporados, são chamados também cavalos, aparelhos, moleques, etc.
Segundo a doutrina umbandista ele é chamado de cavalo porque o médium é realmente o cavalo de que se serve o cavaleiro (o guia, espírito ou orixá) para percorrer o caminho dessa nova espécie de apostolado da mentira: ensinar aos filhos da Umbanda a “vereda da luz”. Todo cavalo depois de domado, tem o seu cavaleiro; assim todo o cavalo de Umbanda , depois de desenvolvido, tem seu guia seu cavaleiro de Aruanda.
IX – INSTRUMENTO DA MAGIA UMBANDISTA
Está em uso uma infinita variedade de instrumentos na Umbanda, para a prática da Magia: Vestimentas as mais variadas, tambores, chocalhos, pembas de todas as cores (pedra de giz), ponteiros (punhais de aço), moringues de barro, velas de cera, fitas de seda, barbante (linha
crua), conchas marinhas, estrelas do mar, defumadores de toda as espécies, flechas, capacetes de penas (cocares), guias (colares de contas), plantas e raízes, charutos e cachimbos, fumo de rolo, pombos pretos, galos vermelhos ou pretos, sangue de boi, farofa de farinha de mandioca, bebidas, cervejas, várias espécies de vinhos, marafa (cachaça), azeite de dendê, mel de abelha, pólvora, carvão, enxofre em pedra ou pó, perfumes e essências, etc.
X – JOGOS DE BÚZIOS
Muitos vão ao terreiro pedir ao “Pai de Santo” que “bote os búzios”, isto é, que interrogue os espíritos sobre determinado problema, sobre a natureza de alguma aflição ou doença, sobre o êxito de certos negócios, inclusive para resolver problemas políticos. “Búzios” ou “buzos”são pequenas conchas marinhas, por meio das quais os babalaôs se comunicam com os espíritos. Os búzios, depois de apanhados na praias, recebem um batismo, os búzios assim consagrados, são guardados dentro do altar. Normalmente o número de búzios é 12, mas este número pode aumentar até 16 ou 20. Os búzios recebem cada um o nome de um Orixá.
Doze búzios são convincentemente preparados pelo babalorixá; para se saber de alguma coisa, fecham-se os búzios na mão direita e depois, abrindo esta, como quem está jogando dados, atiram-se os búzios sobre a mesa. Os búzios formam então várias figuras, que são interpretadas pelo babalorixá. Quando o babalorixá está jogando os búzios, há sempre espírito junto dele e do consulente. Esses espíritos auxiliam o babalorixá a interpretar as figuras muito complicadas. Antes de iniciar a adivinhação, o babalorixá dirige uma pequena prece ao seu Guia e ao Guia do consulente. Estas consultas devem ser pagas e aí há muita exploração.
XI – OS EXUS DE UMBANDA E O CULTO AO DEMÔNIO
Toda e qualquer reunião de Umbanda inicia com um presente oferecido ao Exu, como dizem os umbandistas: “o agente mágico universal, por cujo intermédio o mundo dos vivos se comunica com o mundo espiritual., em seus diversos planos, pois este planeta, no qual habitamos, pertence aos Exus. É o exu (em outros lugares também denominado Zumbi, Cariapemba, Leba, o homem das encruzilhadas) o espírito mais invocado, e a ele são oferecidos o maior número de presentes (“despachos”).
E não se diga que o culto ao Exu é exclusivo da Quimbanda, da Macumba, do Candomblê ou do Batuque. Na Umbanda os Exus são constantemente invocados e trabalho algum é começado sem que sejam salvadas (isto é: reverenciadas) essas entidades; nenhum trabalho de Umbanda pode fazer-se sem antes ser riscado o ponto de segurança, chamado porteira, puxando-se um ponto (canto) adequado, dando-se algumas vezes um presente a Exu, quando se trata de um trabalho importante.
Pois bem, este autor, como, aliás, também outros pesquisadores de Umbanda, identifica os exus com os demônios. dizem os umbandistas que os Exus podem dar forças suficientes para com o mal prejudicarem os outros. Os Exus atuam da maneira mais variada possível. Mostram-se mansos como cordeiros, porém o seu íntimo é uma gargalhada demoníaca de gozo. Podem ser usados também como armas contra os malefícios que outros fizeram, pois, interesseiros como são, tanto se lhes dá seja de um ou de outrem, a alma ou o espírito que pretendem arrastar. O Exu é em via de regra interesseiro, e, se lhe recebe um presente ( despacho ), fatalmente ele irá cumprir o que lhe foi pedido, pouco se importando que o resultado bom ou mau possa repercutir no Mundo Terreno, pois que só lhe apraz fazer o que está errado e é para isso que eles existem. Sendo o Exu o dono principal das ruas e encruzilhadas, é a ele quem primeiro devem saldar, pois é somente com a sua licença que podem dirigir um trabalho de
Magia, pelo fato de ser ainda ele o elemento mágico universal.
Pensam os umbandistas que Deus é bom e não faz nem pode fazer mal. Ele é o Pai bondoso de todos e tem obrigação de cuidar de seus filhos. Não precisam por isso de estar pedindo favores a Deus. Pedir a Deus seria até um sinal de desconfiança. Mas o Exu é ruim, sempre pronto a fazer das suas, para prejudicar e fazer o mal. Todavia, querendo, o Exu também pode favorecer e servir para o bem. É por isso que precisam se esforçar para estar de bem com ele.
Daí a necessidade de cultuá-lo, de oferecer-lhe sacrifícios e presente .
Então ele se põe às ordens e faz o bem (ou o mal) que lhe pedem. Os Exus são numerosíssimos. Têm os nomes mais extravagantes: Exu Tranca Ruas, Exu Quebra Galho, Exu das 7 Poeiras, Exu das 7 Portas, Exu Tranca Tudo, Exu cheiroso, Exu da Capa Preta, Exu Tiriri,. Exu Calunga, Exu Morcego, etc. Cada um deles tem a seu serviço numerosos subalternos. Eles dividiram entre si o mundo, de que são os senhores imediatos, com liberdade sem restrições: uns mandam nos rios, outros nas matas, outros nas estradas, nas montanhas, nos cemitérios, nas soleiras das casas, etc. Vários deles (como Tranca Tudo e Tranca Ruas) fazem qualquer “serviço”. Outros têm especialidades: alguns possuem qualidades especiais para transmitir doenças, outros para produzir desastres, outros para matar, outros para seduzir moças, separar casais, etc.
.
XII – CONCLUSÃO
A Umbanda está sendo considerada pôr muitos estudiosos como cultura do povo brasileiro. Ela é fruto do sincretismo entre o catolicismo medieval português, religiões africanas, culto dos ancestrais índios e o espiritismo de Allan Kardec. O desafio da Umbanda está diante da Igreja de Jesus Cristo no Brasil, que até hoje não se despertou suficientemente para reconhece-lá tal qual ela é, e considerar e calcular o preço envolvido em aceitar o desafio. Os praticantes da Umbanda de alguma forma entram em compromisso direto com demônios, pactuando-se com Satanás que se transforma em “anjo de luz”. Espero que esta análise possa ser útil a todos os que estão empenhados em batalhar diligentemente pela “fé que uma vez pôr todas foi entregue aos santos” Jd 3; Jo 8:32,36


XIII – VOCABULÁRIO UBANDISTA
Abacê, cozinheira que prepara as comidas de santo.
Acassá, bolo de milho
Agô, licença
Agô-iê, dai-me licença
Alá, dossel no terreiro, debaixo da qual se servem as comidas de santo
Amalá, comida de santo
Aparelho, médium em função
Atabaque, tambor
Babalaô, chefe de terreiro, pai de santo
babalorixá, o mesmo que babalaô
Batuque, sapateado africano
Burro, médium em transe
Búzio, concha marinha, caracol
Cacimba, vasilha
Calundo, espírito protetor das parturientes
Calunga, cemitério
Calunga grande, mar
Cambiá, amuleto para ser enterrado
Cambono, auxiliar nos trabalhos do terreiro
Cambono colofé, auxiliar nas cerimônias de iniciação
Candombé, reunião de médiuns e pessoas com apetrechos apropriados para fazerem canjerê
Canjerê, despacho ou trabalho
Canjira, local de dança
Carau, comida de santo
Cavalo, médium em transe
Coité, vasilha, cuia
Congá, altar
Curiar, comer, beber
Curimba, dança
Demanda, questão, luta
Dumba, mulher
Ebó, milho branco preparado com azeite
Egum, espírito de pessoa falecida
Embé, sacrifício de animal
Embanda, mensageiro, porta-voz
Ebó, comida de santo
Epó, azeite
Exu, espírito mau, demônio
Filho de Santo, médium em que se incorpora um orixá
Ganga, chefe de terreiro
Gongá, altar, santuário, local de trabalho
Guia, pulseira
Iansan, orixá feminino do vento, mulher de Xangô, patrona das mulheres livres. Santa Bárbara
Ibeji, orixás gêmeos, São Cosme e São Damião
Iemanjá, orixá feminino do mar. Nossa Senhora
Jabonan, mãe de terreiro, de segunda categoria
Kalunga, espelho
Karunga, mar
Macumba, vara de ipê ou bambu, cheio de dentes, com laços de fita em uma das pontas, na qual um indivíduo, com duas varinhas finas e resistentes, faz o atrito sobre os dentes, tendo uma das pontas da vara encostada na barriga e outra encostada na parede.
Marafa, aguardente, paratí
Mironga, mistério
Mucamba, mulher auxiliar do terreiro
Muginga, pipoca preparada para o ritual da troca de cabeça
Nunanga, vestes cerimoniais
Obá, céu
Ogan, babalaô de segunda categoria
Ogum, orixá das demandas. São Jorge (no Rio), e Santo Antônio (na Baía)
Omulu, orixá da morte, das pestes. São Lázaro
Orixá, divindade secundária, espírito de luz
Otá, fetiche, imagem de um orixá
Oti, bebida
Oxalá, chefe dos orixás, Cristo
Oxóssi, orixá das matas, da caça. São Sebastião (no Rio), São Jorge (na Baía)
Oxun, orixá feminino dos rios. Nossa Senhora
Pegi, altar
Pemba, giz, para riscar os pontos
Ponteiro, punhal
Ponto cantado, hino, canto evocativo
Ponto riscado, sinal cabalístico evocativo
Samba, mulher auxiliar da mãe de santo
Sangue, vinho
Saravá, saudação, cumprimento, “salve”
Ubá, casca de árvore
Urubatão, “caboclo”, chefe de falange.
Vumbi, cerimônia fúnebre, depois da morte de um pai de santo ou de um babalaô, a fim de afastar o seu espírito da sua casa
Xangô, orixá dos raios, das tempestades. São Jerônimo
Zambi, Deus
Zumbi, chefe, rei.


INTRODUÇÃO: Jesus estava com seus discípulos indo para a região de Tiro e Sidom. Uma mulher vinha de sua região, cananéia, e ao ver Jesus começa a gritar, a clamar, a pedir, e a interceder pela sua filha, para que Jesus a curasse.Agora:
Que lições podemos aprender com este texto Bíblico?


 Esta mulher estava aflita e desesperada devido à enfermidade de sua filha. Ela desejava ardentemente que sua filha fosse liberta deste mal. Quando o problema bate à nossa porta, seja qual for a origem, ficamos ansiosos para que o mesmo seja resolvido. E esta mulher queria ver a sua filha brincando, saudável, alegre, e isto já não mais acontecia. Quando vemos um filho passando uma necessidade, nós pais, fazemos tudo o que esta em nosso alcance para que o nosso filho possa desfrutar da vitória, do bem estar, da felicidade, da conquista.
1-DEUS DISTANTE “Mas Jesus não lhe respondeu palavra”.
Às vezes por estarmos com um problema, não conseguimos escutar a voz de Deus, e nos parece que Deus nos abandonou, e esta muito distante de nós, de nossos problemas, das nossas dificuldades. Mas na verdade Deus permite os problemas para que venhamos a crescer, a nos aprimorar como pessoas, pois aprendemos muitas lições diante dos desafios que passamos na vida. Através destas situações adversas, aprendemos a confiar em Deus, a buscar a Deus, a nos entregar por completo. Esta mulher não se intimidou diante da aparente indiferença de Jesus, pois ela sabia que através Dele ela obteria a resposta e solução de que ela tanto precisava.
2-NÃO TER VERGONHA Não devemos ter vergonha de expor os nossos problemas, e principalmente, de pedir ajuda, socorro quando as coisas fogem ao nosso controle. Esta mulher gritou, buscou, falou, foi atrás da solução, se expos ao extremo, tudo em prol da sua filha, para que a solução viesse, para que ela fosse curada, liberta. Ela gritava atrás de Jesus e seus discípulos, buscando aquilo que só o mestre poderia fazer para a sua filha. Muitas vezes temos vergonha de expor aquilo que nos está afligindo, e guardamos dentro do coração por meses e anos uma luta que deveríamos entregar para Deus, nos expondo diante Dele, clamando por socorro. Ficamos preocupados com o que os outros vão falar ou pensar, mas esta mulher não estava nem aí para o que os discípulos ou as pessoas à volta estavam falando ou pensando. Ela queira a solução para o problema da sua filha, apenas isto.
3-PRIMEIRA PROVAÇÃO Jesus diz para ela que Ele havia sido enviado para os Judeus e não para ela (e sua filha) que eram finícias.
Seremos provados. Tem dias que as coisas ficam ruins mesmo, nos desentendemos em casa, vamos para o trabalho e um colega fala algo que nos ofende, então vamos na igreja e ficamos sabendo que um irmão falou mal de nós, e então pensamos que tudo e todos estão contra nós, mas na verdade esta é a hora de nos voltarmos para Deus, pois estes momentos são passageiros, e tendemos a maximizar os problemas, que aos nossos olhas se parecem muito maiores do realmente são, e muitos destes desentendimentos de relacionamentos, não passam de mal entendidos. Esta mulher reagiu à aparente rejeição de Jesus com adoração.
4-PRODUZIU ADORAÇÃO E HUMILHAÇÃO “A mulher veio, adorou-o de joelhos e disse: “Senhor, ajuda-me”!”.
Diante da provação esta mulher adorou de joelhos a Jesus, se humilhando diante do Mestre.
Salmo 51.17 “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus”.
Salmo 34.18 “Perto está o SENHOR dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito”.
Atos 8.27 “Ele se levantou e partiu. No caminho encontrou um eunuco etíope, um oficial importante, encarregado de todos os tesouros de Candace, rainha dos etíopes. Esse homem viera a Jerusalém para adorar a Deus”.
A nossa atitude deve ser de dependência total a Deus e ao Seu poder. Seremos provados, as lutas em consequência aos problemas irão se intensificar, mas devemos adorar a Deus, independentemente de como esta a nossa vida, quanto atribulada se encontra. Esta mulher encarou a provação da maneira correta: adorando, dando graças ao Pai, louvando ao Senhor, numa atitude de ação de graças. Devemos reconhecer que sem Deus não somos nada, e de que necessitamos Dele para vivermos uma vida abundante e vitoriósa.
5-SEGUNDA PROVAÇÃO Jesus fala que não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Jesus estava dizendo com esta frase que os Judeus deveriam se alimentar primeiro para depois poderem dar de comer aos estrangeiros. Ela por ser fenícia, de outra nacionalidade que não judia, deveria esperar. Ela poderia xingar Jesus, despresar Jesus, e ficar brava e irritada com esta frase que Ele lhe proferiu. Mas não, ela continuou na postura de reverência a Ele, sem se deixar abalar ou abater diante das palavras aparentemente contrárias a ela. E o resultado desta segunda provação produziu fé.
Tiago 1.3 “pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança”.
Tiago 1.12 “Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam”.
1 Pedro 1.6 “Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação”.
6-PRODUZIU FÉ Mateus 15.28 “Então respondeu Jesus, e disse-lhe: O mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã”.
O problema, a luta e a tribulação, ou aflição, quando encarados como provação, como uma prova a ser transpassada, vencida, resulta em vitória. Através da fé que esta prova originou, ela alcançou a vitória, a graça, o favor de Deus, tendo naquele instante além da admiração de Jesus, também o que ela mais desejava, a cura e libertação da sua filha.
2 Coríntios 5.7 “Porque vivemos por fé, e não pelo que vemos”.
Romanos 1.17 “Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: “O justo viverá pela fé”.”.
Hebreus 11.1 “Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos”.

CONCLUSÃO: quando nos encontramos com um problema, podemos simplesmente nos desesperar e achar que não há saída, não há solução, ou nos voltarmos intensamente à Deus, e olharmos para o problema como uma provação a ser passada para gerar uma lição, uma vitória, e um grande aprendizado. Com isso, poderemos nos tornar um canal de benção para as outras pessoas, onde podemos, através das nossas experiências, transmitir consolo e auxilio aos que se encontram nas mesmas condições ou em condições até muito mais adversas a que um dia nos encontramos. Precisamos suportar as aflições sabendo que as mesmas produzirão fé, e assim agradaremos a Deus e receberemos a vitória.
1 Pedro 2.20 “Pois que vantagem há em suportar açoites recebidos por terem cometido o mal? Mas se vocês suportam o sofrimento por terem feito o bem, isso é louvável diante de Deus”.

www.palavradoavivamento.blogspot.com  

                 
A Vida do Cristão ( Honestidade )

Introdução
Dentro do assunto doutrinário “O CRENTE E A VIDA CRISTÔ, estudaremos hoje sobre a honestidade, uma virtude que não é nem um mérito especial, mas sim uma obrigação que deve caracterizar a vida do crente.
I – O QUE É HONESTIDADE
1 – Verdade no falar Jr 10.10; Fp 4.8
2 – Retidão no agir Lc 19.8; Sl 90.8
3 – É uma característica de quem anda na luz Mt 5.13,14
II - ONDE O CRENTE MOSTRA HONESTIDADE
1 – Nos seus atos Rm 13.13
A – Andemos honestamente, andar aqui é o dia a dia, em todos lugar e momentos Rm 13.7
B – Nem em desonestidade Pv 18.9; Ef 6.5-8
C – Nos tratos Mt 5.37
D – Com os patrões 1Tm 6.2
1 – Na palavra e negócios
2 – No relacionamento com as autoridades: impostos, taxas, notas fiscal, imposto de renda.
A – Falsificar: data de nascimento, estado civil etc. a fim de obter vantagens.
B – Na questão de dividas: ele ate pode comprar a prazo, mas paga em dias Rm 13.8; a coisa é muito séria Sl 37.21. O credor fala dele elogiosamente: pode se confiar nele é um homem de bem.
3 – No relacionamento com Deus Lc 8.38,39
4 – Pensamento: Nenhum homem é honesto até que seja honesto para com Deus – Roy Smith.
III - RESULTADOS DE UMA VIDA HONESTA
1 – Um bom conceito na sociedade, muitos tem vontade de falar mal do crente, mas se ele for honesto não tem como Dn 6.4; 1Pd 2.12
2 – Uma vida tranqüila Sl 4.8
3 – Uma vida digna 1 Ts 4.11,12
Conclusão
A mentira, o roubo, a crueldade, as fraudes e a adulação são os meios mais habituais entre os homens para adquirir fortuna; por isto é que grande número de homens de bem vive na pobreza 

   SERMÃO DO MEU NOVO LIVRO: ( VOCÊ QUER PREGAR COM SEGURANÇA )

A FÉ TRAZ O MILAGRE!
Texto: Mc. 2:1-12
Introdução: Além de louvar um Deus misericordioso e reconhecer o que Ele nos deu (Sl. 103:1-6), existem algumas coisas específicas que podemos fazer para preparar-nos para o toque de Deus sobre o nosso problema.
1 – Afaste-se das pessoas que rejeitam o poder de Deus e a Unção do Espírito Santo.

Como podemos receber o milagre se nos cercarmos de pessoas incrédulas?
- O paralítico descrito no texto acima se cercou de quatro homens que foram com ele até o milagre acontecer. (Mc. 2:3-5).
- Josué teve Calebe ao seu lado e, somente ambos entraram na terra prometida.
- A Escritura diz que nos últimos dias haveriam pessoas: “tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te”. (2 Tm. 3:5).
- Quando você vive numa atmosfera de incredulidade, não é preciso muito para destruí-lo. A Bíblia diz: “Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, mas um só pecador destrói muitos bens”. (Ec. 9:18).
- Quantos pecadores são necessários para causar destruição? Um. Afaste-se dessas pessoas!
- Quando você percebe o poder da palavra falada e escrita, irá evitar aqueles que querem destruir a sua fé. “A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do ser fruto”. (Pv. 18:21).
- Para onde voltar-se, a fim de fortalecer a sua fé? “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus”. (Rm. 10:17).
2 – Quando buscar um milagre, peça com fé.
- Precisamos remover a palavra “SE” de nossa oração. A palavra de Deus diz: “Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levantada pelo vento e lançada de uma para outra parte. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa”. (Tg. 1:6-7).
- Se tiver dúvidas, não espere receber muito do Senhor. Ao invés disso, peça com fé sabendo que é da Sua vontade abençoá-lo. Jesus perguntou a Bartimeu: “Que queres que te faça? E ele disse: Senhor que eu veja. E Jesus lhe disse: Vê; a tua fé te salvou”. (Lc. 18:41-42).
- “Nunca se pode agradar a Deus sem fé, sem confiar n'Ele. Qualquer um que queira ir a Deus deve crer que existe um Deus, e que Ele recompensará aqueles que sinceramente O procuram.” (Hb. 11:6).
3 – Deixa que sua fé tenha completa liberdade.

Veja o que aconteceu nos dias do Novo Testamento:
- Certa vez quando o Apóstolo Paulo estava pregando em Listra, havia um homem presente que era: “Leso dos pés, coxo desde o ventre de sua mãe, o qual nunca tinha andado.” (At. 14:8).
- A Bíblia registra que: “este ouviu falar de Paulo, que, fixando nele os olhos, e vendo que tinha fé para ser curado, disse em voz alta: levanta-te direito sobre teus pés. Ele saltou e andou”. (At. 14:9-10).
- Os dez leprosos parando a uma certa distância de Jesus: “E levantaram a voz dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós” (Lc. 17:13).
- Quando Jesus os viu, lhes disse: “Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos.” (Lc. 17:14).
- Quando ocorreu a purificação? Quando eles foram. Eles liberaram a sua fé.
- O filho pródigo recebeu o milagre da restauração quando decidiu voltar à casa de seu pai: “E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se ao seu pescoço e o beijou”. (Lc. 15:20).
Conclusão: Qual seria a sua maior necessidade? Qualquer que seja o problema é vital que se aproxime do Senhor com espírito de louvor, agradecimento e uma fé viva.

O PREPARO PARA GRANDES CONQUISTAS - Josué – Cap. 1. 2 e 3

Fomos chamados por Deus para sermos uma geração de conquistadores, a conquista de territórios físicos e espirituais, só será possível com a conquista de territórios espirituais internos. Conquistar é dominar alguma coisa até que se torne seu...
Absolutos espirituais como a fé, a coragem, a santidade, nos capacitam para vencermos os embates travados contras as trevas.
Deus entregou à Josué a incumbência da conquista da terra prometida ao povo que saíra do Egito, toda geração que estava seguindo Moisés havia morrido e foi a nova geração na liderança de Josué que iniciou a conquista da terra que mana Leite e Mel.
Conquistar não é uma utopia, o Cristão passa por fazes difíceis, passa por aflições, mas o Rei da Conquista nos encoraja à ter bom ânimo, pois Ele havia vencido o mundo, conseqüentemente nós seus discípulos somos vencedores das adversidades deste mundo. 
Como Preparar-se para Grandes Conquistas?
1. Prover-se de alimento – 1:11.
Muitos perdem o que deveriam conquistar, em virtude de ficarem enfraquecidos com o tempo. É com a força da “comida”, disposição de ânimo, persistência e determinação que as conquista se dão. O frouxo, fraco, não ganha guerra.“Passai pelo meio do arraial e ordenai ao povo, dizendo: Provede-vos de comida, porque, dentro de três dias, passareis este Jordão, para que entreis na terra que vos dá o SENHOR, vosso Deus, para a possuirdes.” Alimentar-se da Palavra de Deus.
2. Ter confiança nas palavras da sua promessa – 1:13.
Não há promessa que Deus não cumpra, e não há promessa que se cumpra se você não confiar e batalhar para a sua realização. “Lembrai-vos do que vos ordenou Moisés, servo do SENHOR, dizendo: O SENHOR, vosso Deus, vos concede descanso e vos dá esta terra.”
3. Receber com ardor a ajuda das pessoas
(auxílio, assistência). Elas são respostas de Deus as suas orações – 1:14. Ninguém vence sozinho. Dependemos sempre da ajuda de alguém para alcançarmos os nossos objetivos. Deus sempre coloca perto de nós alguém que tem a chave da porta que precisamos abrir.
4. Não ter problemas em acatar ordens – 1:16.
Aquele que não acata ordens não tem espírito de equipe e cooperação. Ninguém coloca dentro de uma estrutura hierárquica alguém com potencial para destruí-la. Quem acata ordens prazerosamente tem consciência da importância da estrutura hierárquica, e está apto para escalá-la até o topo. “Então, responderam a Josué, dizendo: Tudo quanto nos ordenaste faremos e aonde quer que nos enviares iremos.”
5. Esforçar-se para enxergar a sua bênção – 2:1.
Ter a capacidade de ver, não apenas o que se deseja conquistar, mas, as vias pelas quais as conquistas poderão se dar. Muitas vezes o “instrumento” que Deus usa para nos fazer conquistar está mais perto do que imaginamos. As conquistas são perdidas por falta de visão.
CONCLUSÃO: Toda conquista requer um preparo,
Lembre-se: Conquistar é dominar alguma coisa até que se torne seu...
Josué 10:24-27 – Ponha suas fragilidades, inseguranças, desânimos, infidelidade, indiferença, cansaço, desconfiança, crítica e tudo mais que roubam sua conquista, debaixo dos seus pés.
•    Seus inimigos podem ter a aparência de grande, mas você pode vê-los do tamanho que cabe debaixo dos seus pés....
•    O Senhor o ajuda colocar seus inimigos debaixo dos seus pés (10:25), mas quem os elimina e os expõe à vergonha é voceeeee!!!! (10:26)...
Levante-se agora, assim como foi com Josué e o povo pode ser com você....




Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Siga-me pelo Email

Blog Cristão









Meus vizitantes

Gilberto Nunes tel:3359-8007 ou 9896-0577(Rio de Janeiro). Tecnologia do Blogger.